Ads 468x60px

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Desenvolvedores do Tubby App se revelam os maiores trolls da atualidade!


Ontem, publicamos um post falando sobre as dificuldades jurídicas que o lançamento do aplicativo Tubby estava enfrentando aqui no Brasil. Uma medida cautelar, impetrada na justiça por diversos grupos ativistas dos direitos das mulheres, foi julgada procedente e o juiz que proferiu a decisão determinou que o aplicativo não deveria ser lançado no Brasil sob pena de multa diária de R$ 10.000. O lançamento oficial do aplicativo estava marcado para hoje e eis que surge a surpresa: o aplicativo nunca existiu e tudo se tratava de uma TROLLADA mestra dos "idealizadores" do aplicativo!

É isso mesmo, não existe um aplicativo chamado Tubby (que, teoricamente, seria uma versão masculina do Lulu) e os falsos desenvolvedores explicaram que essa jogada toda, na verdade, não foi apenas uma trollada e sim uma crítica à invasão de privacidade gerada pelo aplicativo Lulu (algo que eu SEMPRE falei em rodas de amigos, aqui no blog etc). No vídeo do suposto lançamento do aplicativo Tubby, Guilherme Salles e Rafael Fidelis, idealizadores da pegadinha, apresentam o seu investidor - um coreano que fala coreano (Pyong Lee) - que, teoricamente, explica como funcionará o aplicativo, mas é aí que a trollada começa: a legenda do vídeo, na verdade, é falsa e a verdeira tradução é revelada quando o usuário ativa a legenda do vídeo no próprio YouTube (um ícone de texto, ao lado de um pequeno relógio, localizado no canto inferior direito da caixa do vídeo). Assista ao vídeo logo abaixo:


A verdadeira tradução do vídeo é a seguinte:
Sério, cara, vocês caíram nessa bobagem? 2014 já está chegando e ainda tem gente querendo regredir para a 6ª série, dando notas pra pessoas do sexo oposto..
Porra, pessoas não são objetos e a intimidade de um relacionamento, por pior que tenha sido, não pode ser exposta dessa forma! Esse tipo de aplicativo pode até ser 'mera brincadeira', mas dá as ferramentas para as pessoas anonimamente fazerem estragos na imagem pública das outras, caso ainda mais grave nos dias atuais em que observamos intimidades filmadas por ex-namorados, por exemplo, vazando na rede e tendo repercussões drásticas. Sem falar no aspecto sexista, machista, heteronormativo e cruel, dentre outros retrocessos que esta futilidade promove.
Vocês já ouviram falar de respeito, intimidade e privacidade? Ou que tal deixar de ser: babaca, imaturo, sem noção e qualquer coisa do tipo, hein? (...) Não seja um imbecil, trate as pessoas com respeito. Isso vale, também, para a nossa grande mídia que nunca checa a fonte de nada. Sério que caíram nessa? Entendedores entenderão.
Na boa? Esses caras são uns gênios! Trollaram até a justiça brasileira e uma pancada de grupos feministas ativistas dos direitos das mulheres onde seus membros, em uma hora dessas, devem estar se achando as pessoas mais tolas do universo! Conseguiram mostrar, em um contra-ataque ao aplicativo Lulu, que a intimidade e a privacidade devem ser preservadas! As próprias mulheres deveriam repudiar o aplicativo Lulu, pois elas têm sido as maiores vítimas da violação da privacidade atualmente (vide WhatsApp).

Clap, Clap, Clap, Clap... Palmas para esses caras!

10 comentários:

  1. Essa app nao existe, fomos trollados e enganados pela Tubby... Mas ainda existe uma app real e legitima deste genero do Mercado, chama-se chicklopedia (www.facebook.com/chicklopediaapp) e vai lancar no brazil e nos estados unidos esta semana. Facam like e partilhem a pagina e divulgem entre os amigos, e a unica maneira que nos resta para nos vingarmos do Lulu!

    ResponderExcluir
  2. Pelo texto, são manginões feministas que queriam dar uma lição nos homens com o papinho do machismo. Mas no fim, os famigerados machistas ficaram curiosos sobre o lulu, mas levaram na brincadeira ou ignoraram, e tudo o que eles criticam acaba tendo sido feito pelas próprias mulheres, que seriam as babacas, imaturas, sem noção e sem respeito pelas pessoas. Os trolls na verdade se trollaram.

    ResponderExcluir
  3. O que diabos um Troll tem haver com história? Até onde sei são criaturas baseadas em diversos folclores e normalmente são horrendos, cruéis e devoradores de homens.

    No texto também são utilizados termos como Trollaram, trollada, que não fazem o menor sentido na frase.

    ResponderExcluir
  4. Esse é noob. Ou noob não faz sentido para vc?

    ResponderExcluir
  5. Bom, até onde sei, noob ou newbie vem da expressão new boy. Ela é usada para representar pessoas jovens, ou inexperientes ou novatas, o que faz todo o sentido dentro de um contexto, diferentemente de Troll, que como disse, é um criatura saída de fábulas e que em nada faz sentido ao longo do texto. Muito menos tranformar essa palavra em verbo, faz menos sentido ainda.

    Agora, se você diz que sou noob porque "Trollada" não faz sentido para mim, você deveria rever seus conceitos seriamente!!!

    ResponderExcluir
  6. http://pt.wikipedia.org/wiki/Troll_%28internet%29
    para enriquecer seu conceito

    ResponderExcluir
  7. Pelo vídeo, eles foram os idealizadores. Em nenhum momento o nome do CID aparece nele. Eu, pelo menos, não vi.

    ResponderExcluir
  8. De certa forma, você não deixa de estar certo, Yan, mas acredito que a intenção deles foi só deixar as mulheres um pouco apreensivas quanto ao lançamento de um APP parecido com o Lulu, só que para homens. ;-)

    ResponderExcluir
  9. Bom dia, Dallas! Eu acredito que você não participa de fóruns na internet ou não conhece memes (o TROLLFACE, por exemplo), pois há muito tempo o termo TROLL foi adicionado ao dicionário internauta/Nerd para definir uma pessoa que "sacaneia" ou outros ou só quer "causar", mesmo. Uma rápida pesquisa no Google pode resolver essa questão. ;-)

    ResponderExcluir
  10. Dallas, é sério, pesquisa no Google que você vai entender. O termo TROLL já é usado por internautas há muito, mas muito tempo! E sim, virou um verbo entre as pessoas que participam de fóruns ou grupos de discussão. Nós até o colocamos no nosso dicionário Nerd: http://www.redutonerd.com/p/dicionario-nerd.html

    ResponderExcluir