Ads 468x60px

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Jogos.: Resident Evil 6: o que esperar?


Nesta terça-feira, dia 18 de setembro de 2012, a Capcom liberou ao público em geral uma nova demonstração jogável de Resident Evil 6, o mais recente capítulo da franquia. O RN testou essa demo (eu, principalmente) e traz agora para vocês as impressões deixadas por ela.

História e estilo de jogo

Em termos de história, não vou mencionar nada, até mesmo para evitar spoilers. Isso a Capcom já está fazendo por nós, liberando tanta informação sobre o jogo que não vai ter surpresa nenhuma quando jogarmos a versão final.

Se bem que história não parece ser muito importante nesse jogo, tendo em vista o foco TOTAL em ação, tiroteio, monstrinhos pulando pra todo lado. Ou seja, se você tinha alguma esperança de voltar às raízes, principalmente pelo visto no cenário do Leon, está muito enganado. As duas únicas coisas que lembram as raízes nesse cenário são os ambientes escuros e os zumbis, sendo que mesmo estes são mais "agitados" do que os zumbis clássicos da série, lembrando mais os ganados de RE4 e a população infectada de Kijuju (RE5). De resto, não se preocupe com munição, gerenciar inventário. Nada disso é necessário.

Aspectos técnicos (gráfico, som, jogabilidade)

Se eu já estava decepcionado com o estilo adotado pela Capcom desde RE4, a demo de RE6 trouxe a última pá de terra para enterrar de vez a franquia. Isso para os fãs da série clássica, obviamente. Mas mesmo os fãs de Call of Duty ou Gears of War (geração leite com pêra) não devem gostar muito de RE6.

A Capcom resolveu popularizar a série, tornando-a mais um third-person shooter genérico, mas falhou miseravelmente nisso. Da primeira demo (liberada somente para os donos do jogo Dragon's Dogma) para esta, apenas removeram o screen tearing. De resto, são os mesmos gráficos ruins (piores do que os de RE5, que é de 2009! Nathan Drake, Marcus Fenix e Max Payne mandam lembranças!), câmera mal posicionada, com movimentos MUITO estranhos, e jogabilidade horrível para um jogo de ação. O sistema de cover não funciona bem.

De novidades em termos de jogabilidade, podemos citar que finalmente é possível atirar andando. A restauração de energia do personagem ainda depende de coletar ervas, que desta vez são transformadas em tabletes a serem ingeridos (inspiração nos analgésicos de Max Payne?). O personagem pode se jogar, chutar, bater com a arma.

Confiram o gameplay do pessoal do canal SUSSUWORLD, pois esquecemos de gravar o nosso (hehehehehe):


Conclusão

Se esse jogo não carregasse o nome Resident Evil, eu passaria longe. Só vou pegar mesmo porque sou idiota fã da série e preciso de motivo para falar mal dos rumos da franquia.

Nota do avaliador: 2/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário