Ads 468x60px

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Provedor dos EUA tranforma Wi-Fi de clientes em hotspots

Parece coisa de hacker (cracker) mas não é. Imagine seu provedor abrindo a sua conexão para a utilização por pessoas que você nem conhece. Ruim? Bom? Há chances de isso acontecer com você. Entenda esta tendência.

Já faz um ano desde que a empresa Comcast que fornece conexão à internet nos Estados Unidos resolveu que iria tentar transformar sua área de cobertura em uma área com Wi-Fi livre.

"Mas como é isso? Vão colocar uma antena gigante?"

Não, de forma alguma. Eles estão substituindo os roteadores de seus clientes por modelos capazes de servir como hotspots.

"Quer dizer que vão invadir minha rede e terão acesso aos meus equipamentos?"

Não, as redes são separadas e não se comunicam entre si. Segundo a empresa, eles testaram os 50 melhores roteadores e acharam vulnerabilidades em dois terços deles e, como nada é 100% seguro na informática, caso um hacker encontre alguma brecha, "apostas desfeitas".

"Mas isso não vai reduzir minha velocidade?"

Não, cada rede possui sua própria antena e, cada antena, uma velocidade. É maioria dos clientes possuem uma conexão de 25Mbps, já os canais públicos têm 15Mbps e permitem que até 5 pessoas se conectem ao mesmo tempo.

"Então vou olhar pela janela e ver um bando de marmanjo sentado na calçada usando o sinal do meu roteador?"

Ehr, sim e não. A ideia é ser um hotspot, o que seria aberto para qualquer um, mas na realidade é um serviço para outros clientes da mesma empresa que possuem seus equipamentos cadastrados no site deles. Além disso, dependendo da localização do roteador na residência e de outros fatores de ambiente, o sinal externo seria bem fraco. Servirá mais para que aqueles amigos não fiquem pedindo a senha do Wi-Fi toda vez que visitarem.
A Comcast alega que isso foi pensado devido ao fato de seus clientes pagarem por um serviço contínuo sendo que passam a maior parte do dia fora de casa. Sendo assim, você mesmo, como cliente, poderá utilizar o sinal em qualquer lugar que possua um roteador de outro cliente.

"Mas e se usarem minha conexão para algo ilegal?"

Quanto a isso, a Comcast diz que se o FBI vier a bater em sua porta, você é isento de responsabilidade. Além disso, quem quiser utilizar o serviço deverá estar autenticado, ou seja, a atividade ilícita será rastreável.

"Ah, sei não..."

Eles não obrigam seus clientes a cederem o sinal. Caso alguém não deseje é possível desativar o serviço entrando em contato com a empresa, o que ocorreu com menos de 1% de seus clientes que, até então, passam de 3 milhões.

[Fonte: CNN]

Nenhum comentário:

Postar um comentário