Ads 468x60px

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Gadgets.: Apple anuncia três dispositivos: iPhone 6, iPhone 6 Plus e Apple Watch


Depois de muita especulação, fotos de componentes vazadas e espera, finalmente a Apple apresentou ao mundo a nova geração do iPhone, representada pelos iPhone 6 e iPhone 6 Plus, mas não foi "só isso"; o evento contou com aquele famoso "One More Thing" (traduzindo, 'mais uma coisa'), comum nos tempos de Steve Jobs. Rumores apontavam para uma possível entrada da Apple no ramo de Wearable Devices (dispositivos vestíveis) e, hoje, esses rumores se confirmaram: o Apple Watch é o primeiro relógio da empresa.

iPhone 6 e iPhone 6 Plus


A espera acabou: eis, aqui, a nova geração do smartphone da Apple! O iPhone 6 e o iPhone 6 Plus compartilham do mesmo hardware (supreendemente), mas há diferenças na tela e na bateria dos dois modelos. Em termos de hardware, ambos os modelos contam com o novo processador da Apple, o A8; o já conhecido chip M8, o qual armazena as informações registradas pelo GPS, giroscópio, acelerômetro e barômetro; a mesma quantidade de memória RAM, que nunca é revelada pela empresa e estima-se ser 2 GB; câmera iSight de 8 MP com foco rápido e uma melhor redução de ruído em comparação com a câmera que equipa o iPhone 5S.



Enquanto o iPhone 6 Plus possui tela de 5,5" com resolução FULL HD (1920 x 1080 px), finalmente, o iPhone 6 conta com uma tela de 4,7" de resolução HD (1334 x 750 px); resumindo, o iPhone 6 Plus é bem maior que o iPhone 6 (e que o Galaxy S5). Já com relação à bateria, a do iPhone 6 Plus possui uma autonomia bem diferente daquela que equipa o iPhone 6, autonomias essas que podem ser conferidas na tabela oficial abaixo:


As grandes novidades anunciadas foram a inclusão da tecnologia NFC nos smartphones da Apple, capaz de permitir a realização de pagamentos com o sistema Apple Pay (digamos que é uma imitação do Google Wallet), uma tecnologia chamada de METAL, a qual permite que a CPU e a GPU trabalhem juntas para entregar melhores gráficos aos gamers de plantão, e a inclusão de um barômetro na lista de sensores, responsável por captar a altitude em que o usuário se encontra.

Diferença entre os tamanhos das telas dos iPhones

A primeira leva de países deve receber os dois modelos do iPhone 6 na data prevista de 19 de setembro deste ano e os preços praticados serão os seguintes (ambos os modelos livres de contrato e desbloqueados): para o iPhone 6, os preços variam de US$ 649 a US$ 849 (capacidades de 16 GB, 64 GB e 128 GB, variando de US$ 100 em US$ 100); já o iPhone 6 Plus será vendido a preços que variam de US$ 749 a US$ 949 (tendo a mesma variação de preço do iPhone 6).


Apple Watch

Finalmente, a especulação acabou: eis aqui o "iWatch", só que não com esse nome. O Apple Watch insere a Apple no mundo dos dispositivos vestíveis (wearable devices), mas, apesar de ser bonito, contar com várias opções de customização e diversas funções interessantes, ele, infelizmente, possui limitações de conexão assim como o Galaxy Watch; em resumo, apenas iGadgets lançados a partir do iPhone 5 serão compatíveis com Apple Watch e ainda não se sabe se iPads entrarão nessa lista.


Enfim, esclarecidas as limitações do relógio, vamos ao que interessa, ou seja, o que é que ele tem! Para começar, ele será vendido em três versões: Watch, Watch Sport e Watch Edition; duas das versões vendidas com uma tela feita de SAFIRA, o que garante ao dispositivo uma durabilidade muito maior que a daqueles smartwatches com tela de vidro comum (mesmo sendo Gorilla Glass); possui quatro sensores na parte de baixo que permitem o reconhecimento de batimentos cardíacos, destravamento automático da tela assim que eles entram em contato com a pele do usuário; também conta com a tecnologia NFC; um botão físico circular, igual ao de relógios comuns, capaz de executar diversas funções como zoom, navegação entre menus e outras; é equipado com uma tela 'flexível', capaz de diferenciar um simples toque de um pressionar da tela; conectividade Wi-Fi e Bluetooth 4.0; acelerômetro e giroscópio; seis opções de pulseiras estarão disponíveis no dia do início das vendas.

O sistema operacional do Apple Watch foi desenvolvido do zero, algo normal quando se trata de um dispositivo totalmente novo em uma determinada empresa. Já com relação à função de relógio do Apple Watch, a Apple afirma que ele terá uma precisão de 50 milésimos de segundo (ms) em relação ao horário padrão mundial, algo impressionante. O sistema de carregamento da bateria será feito por indução, isso quer dizer que você não verá fios em volta do Apple Watch enquanto ele estiver carregando. Infelizmente, e acredito que isso foi uma grande mancada da Apple, o dispositivo não possui GPS e é necessário utilizar o GPS do iPhone para registrar os dados a respeito de uma corrida ou caminhada, por exemplo. Para um dispositivo que possui uma versão com foco em "saúde e fitness", não poder medir o trajeto e a velocidade média em um treino de corrida/caminhada/pedalada, sem o auxílio de smartphone, é algo que, no mínimo, pode ser considerado uma tremenda bola fora da Apple (para não dizer outra coisa).

O dispositivo será vendido em dois tamanhos, assim como seus acessórios (leia-se, pulseiras), e está previsto para chegar ao mercado mundial no início de 2015 ao preço de US$ 350.


Videos de apresentação

Assistam aos vídeos oficiais de apresentação dos dispositivos lançados hoje pela Apple.








Na minha opinião, o que a Apple mostrou hoje agradou bastante! Sem sombra de dúvidas, agradou muito mais do que quando ela apresentou o iPhone 5, o iPhone 5S e o iPhone 5C, os quais foram relativas decepções! Pelo menos nesse primeiro momento, a impressão que temos é a de que os produtos possuem acabamento refinado (nada de plástico) e uma boa tecnologia embarcada, já que o iOS 8 traz novas funcionalidades (apesar de continuar com aquela interface simplista, com design nivelado).

Apesar de ter gostado dos dispositivos apresentados hoje cedo, inclusive voltei a cogitar ter um iPhone, gostaria de fazer algumas considerações com relação ao momento atual da Apple baseando-me no evento. Fazendo uma análise bem grosseira do evento de hoje, vimos que a Apple está um pouco desesperada e tem se espelhado na Samsung para tentar competir com o Android no mercado de dispositivos móveis. Por que eu digo isso? Vejamos os fatos: os iPhones, até o modelo passado, possuiam telas de um tamanho tal que o usuário conseguia alcançar a tela inteira com o polegar, algo que Steve Jobs tinha por filosofia no telefone da Apple e que caiu por terra com o iPhone 6; a nova geração do smartphone da Apple passou a contar com cantos e bordas arredondados, algo já marcante nas linhas de smartphones da Samsung; há um tempo, a Samsung lançou a segunda geração de seu smartwatch e, naquela época, a Apple afirmou que não estava trabalhando em um relógio da empresa, informação essa que também caiu por terra hoje; a Apple começou vendendo apenas um modelo de iPhone, vejam quantos são vendidos atualmente na tentativa da empresa de atingir um público maior. Enfim, acredito que a Apple meio que se vendeu ao mercado e deixou de ser uma empresa que realmente possui produtos inovadores e diferenciados. A Apple era uma referência; era ela a empresa a ser copiada pelas outras.

Só tenho uma coisa a dizer: aqueles usuários fãs da Apple que criticavam o tamanho dos aparelhos da linha de smartphones Galaxy S, a partir do S3 em diante, vão ter que abaixar a cabeça a partir de agora se decidirem comprar um iPhone 6 (principalmente o iPhone 6 Plus, que é maior até que o Galaxy S5, como já mencionado).


[Fonte: Engadget (1), Engadget (2), Engadget (3), Apple]

Nenhum comentário:

Postar um comentário