Ads 468x60px

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Microsoft anuncia o modo "assinatura" para a sua suite OFFICE 2013


Parece a grande mudança da conhecida suite Microsoft Office não é uma funcionalidade ou um recurso, e sim a forma de aquisição dela. Na semana passada, a Microsoft anunciou que disponibilizará sua suite de escritório na forma de assinatura anual, assim como acontece com softwares antivírus, por exemplo. A versão física continuará sendo vendida, mas será muito mais limitada e tudo indica que ela será extinta em um futuro não tão distante.

Segundo a Microsoft, existirão duas versões do produto disponíveis para assinatura: Office 365 Home Premium e Office 365 Small Business Premium. A primeira conta com os principais aplicativos da suite de escritório da Microsoft (Word, Excel, PowerPoint, Access, Publisher, Outlook e OneNote), os quais podem ser instalados em até cinco (5) máquinas, 60 minutos de crédito para ligações via Skype, 20 GB de espaço de armazenamento no serviço SkyDrive e um recurso sob demanda que permite a realização de streaming de aplicativos entre PCs que rodem os Windows 7 ou 8; a assinatura anual dessa versão custará US$ 99,00 (cerca de US$ 8,33 por mês). Já a segunda, Office 365 Small Business Premium, possui todos os recursos e aplicativos da Home Premium, e mais um pouco; seu preço ainda não foi divulgado.

Confira abaixo a tabela disponibilizada pelo site The Verge (em inglês):


Tudo indica que os preços das versões físicas irão aumentar, pois a versão mais básica - Home & Student -, que possui apenas os quatro aplicativos padrão da suite (como vocês podem ver na tabela acima), custará a bagatela de US$ 139,99 e só poderá ser instalada em um único PC ou Mac.

E aí, o que você achou da novidade?


[Fonte: Gizmodo]

4 comentários:

  1. Porcaria. Tremenda cagada!
    Ora de procurar alternativas, como o openoffice ou manter a versão antiga do office.

    ResponderExcluir
  2. Quando achei que já tinha visto de tudo...

    ResponderExcluir
  3. Eu já uso OpenOffice, BrOffice e, agora, LibreOffice há alguns anos.

    ResponderExcluir