Ads 468x60px

quarta-feira, 20 de março de 2013

Nvidia anuncia as novas arquiteturas de suas próximas GPUs: Maxwell e Volta!


É fato inegável que as novas placas de vídeo lançadas pela Nvidia, com GPUs de arquitetura Kepler, possuem um imenso potencial de renderização gráfico, mas a Nvidia quer mais. Durante a GPU Technology Conference, que está acontecendo em San Jose, na California, o CEO da Nvidia - Jen-Hsun Huang - anunciou a nova arquitetura de GPUs da empresa, de codinome Maxwell, que irá equipar a próxima geração de placas de vídeo dela.

A principal melhoria feita na nova arquitetura foi a adição de uma tecnologia que permite a "unificação" das memórias gerenciadas pela CPU e pela GPU. Com essa tecnologia, a CPU será capaz de ler o conteúdo da memória gerenciada pela GPU e vice-versa, e, segundo Huang, a criação de aplicativos será facilitada para os desenvolvedores devido ao compartilhamento de recursos. Para quem não sabe, as memórias utilizadas pelas placas de vídeo, voltadas para a renderização de recursos gráficos, e pelos PCs são diferentes, mas é possível integrá-las através de tecnologias de virtualização; a Nvidia já utiliza o VGX.

A arquitetura Maxwell também chegará aos dispositivos móveis através de um processador da família Tegra, de codinome Parker. Ele será o primeiro processador de 64-Bits da empresa baseado na arquitetura de processadores ARM. De acordo com a Nvidia, o chip deve utilizar a tecnologia de transistors 3D, apresentada pela Intel em 2011, e isso deve aumentar razoavelmente o desempenho do processador e diminuir o seu consumo de energia, prolongando o tempo de uso das baterias.


Já a arquitetura Volta, de acordo com a Nvidia, promete ser mais eficiente do ponto de vista do consumo de energia, menor, devido ao redesign da composição do chip - o qual passará a empilhar os módulos de memória DRAM diretamente sob o silício da GPU, diferentemente do design tradicional onde eles são colocados lado a lado -, e os módulos de memória DRAM serão ligados diretamente uns aos outros, ocasionando um aumento significativo na largura de banda das próximas GPUs. Huang afirmou que a arquitetura "Volta irá resolver um dos principais desafios das GPUs atuais, que é a largura de banda" e em seguida complementou, dizendo: "Vamos chegar a 1 terabyte por segundo".

Até onde será que a tecnologia empregada em processadores (GPU ou CPU) vai chegar?


[Fonte: PCWorld]

Nenhum comentário:

Postar um comentário