Ads 468x60px

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Decisão judicial determina o bloqueio do WhatsApp por 48 horas!


Em se tratando de WhatsApp, com certeza você já deve estar sabendo que uma decisão judicial ordenou o bloqueio do aplicativo por parte das operadoras a partir de 00:00 horas do dia 17/12, quinta-feira. O bloqueio durará 48 horas e neste post pretendo tirar algumas dúvidas que alguns de vocês devem ter sobre tal decisão da justiça.

  1. De onde saiu essa determinação de bloquear o WhatsApp?
    Da 1ª Vara Criminal da cidade de São Bernardo do Campo (SP)

  2. Essa determinação tem alguma coisa a ver com as operadoras de telefonia móvel?
    Não. É bem verdade que elas querem que o WhatsApp seja regulamentado de alguma forma, visto que é um aplicativo de mensagens instantâneas, ligações via VoIP e videochamada, mas não foi dessa vez que as operadoras recorreram à justiça para tal.

  3. Qual é o real motivo desse bloqueio?
    De acordo com o site da ConJur, existe uma investigação das Polícias Civil e Federal sobre tráfico de drogas e que corre em segredo de justiça. Segundo o site, as drogas estariam vindo da Colômbia e do Paraguai.

  4. O WhatsApp não funcionará nem via WiFi?
    Errado. Apesar de o aplicativo autenticar o número de telefone do usuário junto às operadoras, aparentemente ele só faz isso quando está conectado a uma rede GSM ou CDMA (3G, 4G etc). Portanto, ainda é possível utilizar o WhatsApp caso o usuário esteja conectado a uma rede WiFi e os "dados móveis" (3G, 4G) estejam desligados.

  5. Por quanto tempo esse bloqueio durará?
    De acordo com a determinação judicial, o bloqueio terá duração de 48 horas a contar de 00:00 desta quinta-feira, ou seja, só acabará 00:00 horas de sábado.

  6. Ouvi dizer que esta nova determinação se deu devido a um descumprimento de uma decisão judicial prévia, de julho deste ano. É verdade?
    Talvez sim, talvez não. Pode ser apenas uma forma de desviar o real motivo.
Duas alternativas ao WhatsApp, nesse meio tempo, são os aplicativos Telegram e Viber.
Caso tenham mais alguma dúvida, fiquem a vontade para nos perguntarem aqui ou em nossa página no Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário