Ads 468x60px

domingo, 14 de novembro de 2010

CoD: Black Ops pode gerar crise mundial

Alerta de Spolier nesse post!
 
Screenshot tirada por mim (Clique na imagem para ampliar)

Em um dos portais de notícia mais acessados de Cuba, o Cubadebate, a imprensa cubana fez críticas ferrenhas a CoD: Black Ops. As acusações são de que o lançamento do jogo faz parte de uma nova operação dos EUA contra Cuba. Acho meio extremismo da imprensa cubana achar que tudo isso é parte de uma teoria da conspiração, mas de fato a primeira missão pode dar margem a interpretações do gênero.


Um dos objetivos da primeira missão é matar o ex-ditador Fidel Castro e isso realmente acontece, como você poderá ver no vídeo, feito por mim, abaixo:



O vídeo não ficou muito bom porque o programa que usei é básico (TipCam) e não consegue gravar a quantidade máxima de quadros por segundo (FPS) do jogo. Ele grava vídeos a 10 FPS na média. Existem vídeos melhores no YouTube, é só dar uma pesquisada. =D

Deixando um pouco a alienação e a ingenuidade de lado, eu me pergunto: será que por trás desse objetivo nessa PRIMEIRA missão do jogo não há mesmo uma crítica verdadeira à forma de governo de Cuba?

O Cubadebate ainda vai além e critica também a postura dos EUA durante a tão famosa Crise dos Mísseis no ano de 1962, quando o presidente dos EUA era John F. Kennedy. Inclusive há uma cena onde John Kennedy dá ordens diretas ao jogador para que este elimine um alvo, e isso acontece justamente durante a Crise do Mísseis. Acha que acabou? Não, ainda tem mais: o site afirma, também, que o jogo induz as pessoas a praticar atentados contra Fidel Castro. o_O

Nem o governo cubano e nem o norte-americano se pronunciaram oficialmente a respeito do assunto, mas não seria surpresa alguma se as cópias não vendidas, no mundo todo, fossem recolhidas. E para as cópias já vendidas, será que teremos uma atualização de "mudança" de objetivo? Acho pouco provável, mas nunca se sabe.

Deixe suas impressões a respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário